Priorizando a educação dos filhos em meio à crise

0

Em tempos de crise, as famílias precisam se adequar ao cenário econômico que se apresenta à sua frente. É preciso planejar com mais cuidado os gastos e até mesmo cortar despesas menos essenciais. Nessas horas o chamado "senso de necessidade" precisa funcionar como nunca. Alguns gastos, no entanto, não podem ser afetados de maneira brusca, sob pena de sobrevir um possível arrependimento no futuro. As despesas com educação dos filhos se incluem nesse grupo de dispêndios essenciais a serem preservados.

Todo e qualquer investimento numa formação de qualidade é fundamental num mundo dinâmico e competitivo como o nosso. Dotar crianças e jovens de capacidades que lhes permitam sair à frente dos demais, torna-se um diferencial quando a entrada no mercado de trabalho ocorrer. Essa consciência precisa estar sedimentada na cabeça dos responsáveis pela manutenção dos lares.

Algumas medidas podem ser de grande valia no sentido de re-equacionar os gastos educacionais com os estudantes. Pesquisar colégios com as mensalidades mais em conta, otimizar os deslocamentos entre o local de residência, a escola e os cursos extracurriculares; montar esquemas de carona solidária entre os pais cujos filhos estudam numa mesma instituição. Qualquer medida que "enxugue" despesas é válida no sentido de manter o padrão de instrução dos estudantes.

A questão precisa ser encarada com serenidade e sabedoria. Incluir os estudantes no processo sempre é uma boa ideia, pois eles sentirão que os pais realmente se importam com o que eles pensam e sentem sobre o assunto. A decisão da transferência do ensino privado para o público precisa ser extensivamente avaliada. Procurar por instituições públicas de renome pode ser uma boa solução. Como os colégios mais disputados costumam realizar processos seletivos para o ingresso, uma boa ideia é investir num curso preparatório que capacite os estudantes para as provas.

O mais importante em todo o processo é agir com calma e de maneira planejada. Nesse sentido, quanto mais informações pais e filhos dispuserem a respeito do assunto, melhor. Conversar com pessoas que já passaram pelas mesmas situações pode ser muito útil. Enfrentar uma crise financeira na família não precisa ser um episódio traumático, principalmente em relação à rotina educacional. É preciso tirar lições a partir das situações vividas e usá-las para construir um futuro melhor.


Deixar uma Resposta

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *