Panorama da Educação Superior no Brasil

0

Segundo o último censo publicado pelo Ministério da Educação e Cultura, atingimos 7,4 milhões de alunos matriculados no Ensino Superior no Brasil. A imensa maioria dos alunos está matriculada nas redes privadas (74% ou 5,4 milhões de discentes) enquanto que 26% (ou 1,9 milhões de alunos) está nas redes públicas (municipais, estaduais e federais).

Considerando-se o período de 2000 a 2013 (último ano em que o censo está disponibilizado), os cursos presenciais cresceram incríveis 129%, totalizando 6,2 milhões de matrículas ou 84,2% do total de alunos. O Cursos de Ensino à Distância – EAD, totalizaram 15,8% do total de matrículas ou 1,1 milhão de alunos. Os cursos Tecnológicos, presenciais e a distância, totalizam 13% do total dos alunos matriculados.

Em termos geográficos, a distribuição das matrículas está nas regiões Sudeste e Nordeste do Brasil, que concentram mais de 57% do ensino à distância e mais de 68% da educação presencial:

Quando observamos a evolução no número de Instituições de Ensino Superior no Brasil, não apenas se forma naturalmente um gráfico de Ciclo de Vida ou matriz ADL (iniciais de Arthur D. Little), como também salta aos olhos o diferente grau de crescimento entre as unidades públicas e privadas ao longo do tempo (gráfico abaixo). A matriz ADL é uma ferramenta de apoio à gestão, que se baseia em duas variáveis: competitividade da empresa e ciclo de vida do produto, objetivando aumentar a rentabilidade da empresa.

Tal qual uma curva ABC ou Paretto, as Universidades representam apenas 8% do total de IES, mas abrangem 53%, constituindo-se de grandes organizações que concentram a maioria dos alunos. No quadrante oposto, temos as Faculdades, que embora representem 84% do número total de IES, detém apenas 29% dos alunos matriculados.

Claramente o setor educacional brasileiro está demonstrando um quadro de crescimento e amadurecimento. A profissionalização pela qual o setor passa, a constituição de grandes grupos educacionais, o aumento sem precedente na competitividade, deixam claro esta mudança no panorama. E isto com ou sem crise.

Um dos requisitos básicos para evolução, competividade e sobrevivência das instituições de ensino neste panorama é o uso de Sistemas de Gestão Acadêmica, que possibilitam entre outras coisas, uma gestão moderna e eficaz, padronização de rotinas, facilitação de processos, integração de todos os dados em uma única plataforma, gestão estratégica e financeira, além de ferramentas de relacionamento com seus clientes.

Para saber mais, acesse www.matheussolucoes.com


Deixar uma Resposta

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *